quarta-feira, 27 de maio de 2015

Momento Literário de Maio

   




“Amore mio come farò a rassegnarmi a vivere?”*
                                                                                                             
                                                                                                                                                                         

Por Elizabeth Araújo
Escrito por Goethe, Os sofrimentos do jovem Werther é considerado um marco do Romantismo e foi baseado na própria vida do autor. Neste clássico da literatura alemã, Werther escreve cartas para um amigo que  em nenhum momento aparece na história. Como o amigo não responde, o leitor acompanha toda a narrativa vista apenas pelo lado de Werther enquanto fica na dúvida se o destinatário dessas remissas realmente existe.
Nas cartas Werther relata toda a sua angústia e sofrimento devidos a um amor não correspondido por uma dama já comprometida. As vezes parece até que seria possível que ela correspondesse, talvez por isso ele não desiste.
Toda a sua vida está voltada para esse amor e a ausência de recíproca e por isso ele não consegue enxergar outra possibilidade para sua vida, nenhuma saída. O personagem é muito sensível e tal pode ser visto através da forma como escreve, e de suas excessivas preocupações com as situações e pessoas a sua volta. Enquanto relata de sua dor, descreve seus sentimentos e narra os acontecimentos, e de como vive para este amor impossível e das coisas que acontece em torno disso. Na narrativa sobre o seu sofrimento, reflete sobre a vida, o amor e o suicídio. 


Um livro muito romântico que levou muitos ao suicídio na época em que foi escrito, mas sua leitura permite uma reflexão sobre a vida, as pessoas  e os acontecimentos...












*Twitter: @ElizabethArau14 
* Instagram: elizabeth_araujo2 




* “Meu amor como farei para resignar-me a viver?”. Música Cinque Giorni, de Zarillo/Incenzo, 1994.